Segunda, 23 de Novembro de 2020
35 99846-1246
Economia Exemplo a seguir

Na contramão da crise, Juruaia segue com vagas de trabalho no setor de moda íntima

Economia da cidade manteve crescimento e novas contratações mesmo durante a pandemia de coronavírus.

14/09/2020 10h57
1.550
Por: Primeira Leitura | Redação Fonte: Jonatam Marinho | G1 Sul de Minas
Confecções geram emprego num raio de 35km de Juruaia (MG). (Imagem: Aciju)
Confecções geram emprego num raio de 35km de Juruaia (MG). (Imagem: Aciju)

A pequena Juruaia (MG) tem pouco mais de 10 mil habitantes, mas apresenta números altos da produção de peças íntimas e vestuário. Isso mostra que a cidade está a pleno vapor mesmo durante a pandemia de coronavírus. Os comerciantes afirmam que tem faltado mão de obra qualificada e que sobram postos de trabalho no município.

Segundo a Associação Comercial e Industrial de Juruaia (Aciju), em média, a cidade fabrica 20 milhões de peças por ano e movimenta 15 milhões por mês em faturamento bruto. Tanto vigor tem espantado o desemprego.

“Falta mão de obra qualificada e para qualificar. Está difícil encontrar pessoas dispostas a aprender o ofício da costura”, observou o presidente da Aciju José Antônio Silva.

Ele afirma que 5 mil pessoas trabalham direta e indiretamente no processo de fabricação e comercialização das peças na cidade. Os dados levantados pela associação comercial incluem autônomos e facções terceirizadas. “As facções são pequenas oficinas dentro do âmbito familiar com cinco ou seis pessoas que produzem a lingerie dentro ou até na garagem de casa, na cidade ou na zona rural”, explicou.

Peças possuem detalhes delicados, o que exige mão de obra qualificada em Juruaia/ MG. (Imagem: Aciju)

 

José garante que quem mora em Juruaia pode trabalhar com as confecções, cafeicultura ou serviços. “Quem mora em Juruaia não trabalha se não quiser. Aqui o emprego é abundante”, disse.

Além dos moradores, Juruaia também oferece emprego nos arredores do município, numa área de 35 km de raio. Segundo a Aciju, 100% da mão de obra aproveitada nas confecções vêm de Guaxupé (MG), Muzambinho (MG), Nova Resende (MG), São Pedro da União (MG), Bom Jesus da Penha (MG), Guaranésia (MG) e Monte Belo (MG).

Um exemplo é o de Daiane Cruvinel Bonfim que trabalha há quase um ano como consultora de vendas de uma loja de lingerie, moda praia e fitness e mora em Guaxupé. Todos os dias ela vai e volta de ônibus e percorre 20 km. “Acordo às 5hs da manhã de segunda a sexta-feira. Tomo o ônibus e chego em Juruaia às 6 e meia após uma hora de viagem. E retorno a Guaxupé por volta de 18hs”, disse.

Acostumada com a correria da região metropolitana de São Paulo (SP), ela foi morar em Guaxupé há sete anos e garante que essa rotina é tranquila. “Eu pegava três ônibus em São Paulo e aqui eu pego só um na porta de casa e acho bem tranquilo”, comparou.

 

Salário melhor

A consultora de vendas contou também que os ganhos em Juruaia são melhores. “Emprego em Guaxupé quase não tem. Já Juruaia têm mais opções e a remuneração também é muito boa. O salário-base é o mesmo, porém, aqui tem a porcentagem nas comissões nas vendas que aumenta a remuneração”, contou.

Uma das gerentes da loja que Daiane trabalha, Miryan Iorio, afirma que foram feitas contratações para atender as demandas da Festlingerie, feira de moda íntima que acontece no mês de setembro. “Quando as consultoras voltaram do home-office os pedidos aumentaram e vimos que não conseguíamos mais atender a demanda que chegava. Contratamos mais pessoas de Juruaia e Guaxupé”, afirmou.

As irmãs e sócias Miryam e Brenda Iorio contrataram em Juruaia (MG) durante a pandemia. (Imagem: Arquivo pessoal)

 

Um caso parecido é o relato da empresária Maria Helena Avelar que possui uma loja de lingerie, linha noite e pijamas. Ela afirma que após o período crítico da pandemia, os pedidos voltaram com tudo. “As vendas aumentaram automaticamente e tivemos que contratar mais colaboradores. Então chamamos mais quatro pessoas para a produção, mais dois para vendas e três nas facções”, contou.

 

Dificuldade

Para José Antônio uma das dificuldades que os empresários de Juruaia tem encontrado é a falta de mão de obra especializada na produção. “A costura de lingerie é bastante minuciosa. Mesmo uma costureira que tem experiência em outro tipo de vestuário ela vai encontrar uma certa dificuldade para se adaptar a fabricação de moda intima por conta da delicadeza das peças. É um produto muito especial”, observou.

A empresária Maria Helena diz que os empregadores precisam contratar, mas a maioria dos candidatos não tem prática. “Na parte de vendas buscamos quem tem experiência. Na produção é bem mais difícil porque os candidatos têm uma noção muito básica de costura. Em épocas mais tranquilas, contratamos e treinamos para nossa realidade. Nesse momento precisamos contratar, porém as pessoas não tem prática. Tudo isso torna o processo bem complicado”, relatou.

Comércio em Juruaia (MG) gira em torno das produções de moda íntima. (Imagem: Aciju)

 

 

Cursos

Uma forma encontrada de contornar essas dificuldades é a oferta de cursos específicos. A própria Aciju, a prefeitura e até o Serviço Nacional da Indústria (Sesi) tem suprido essa demanda.

“O principal déficit é em relação às costureiras. Uma mão de obra específica. Nesse ponto, os cursos ajudam muito”, contou José Antônio. Ainda sobre a oferta de mão de obra ele garante que os cursos também são uma oportunidade.

“Aqueles alunos que realmente se dedicam ao curso, participam de todas as aulas e realmente aprendem o ofício vão sair empregados”, apostou.

Ainda, segundo ele, todas as empresas que participam do Festlingerie estão contratando colaboradores. Segundo a analista do Sebrae Minas, Lucilene Pessoni de Moura, é feito um trabalho de disseminação de conhecimento para mostrar a importância de realizar uma boa gestão nas empresas. “Compreender a gestão de negócios e evoluir em suas habilidades pode ser a peça que aproxima dos objetivos estabelecidos por uma empresa. Nesse sentido, aprender sobre gestão de negócios é fundamental para prepará-lo melhor para o que o mercado vem reservando”, disse.

Alunos participam de curso de capacitação em Juruaia/ MG. (Imagem: Aciju)

 

E continuou. “A qualificação da mão de obra é o processo pelo qual o trabalhador ganha uma determinada experiência e habilidade na produção e na prática de determinada atividade. Estabelecer metas e responsabilidades, ter um bom planejamento é essencial para melhorar o controle e o trabalho dos profissionais. Porém, é preciso sempre buscar por formas e métodos e para isso a gestão do negócio é essencial para conseguir esses resultados”.

 

O Festlingerie

O Festival de Lingerie de Juruaia 2020 (Festlingerie) será totalmente online entre 21 e 26 de setembro. O evento que funciona como uma vitrine do setor para o Natal terá desfiles e exposição de produtos para apresentar peças da coleção primavera-verão 2020/2021 de mais de 50 lojas. Tudo será transmitido pelo site e redes sociais.

Nos dias 23 e 24 de setembro, o evento realiza uma rodada de negócios para novos acordos comerciais promovida pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) de Minas Gerais.

Alunos participam de curso de capacitação em Juruaia/ MG. (Imagem: Aciju)

 

Segundo José Antônio, a Festlingerie costuma acontecer no feriado de 7 de setembro, mas devido a segunda paralisação das fábricas em julho que prejudicou o processo de produção, o evento sofreu um atraso na realização.

A Festlingerie é um evento promovido pela Aciju em parceria com o Sebrae Minas e estará disponível no site festlingeriejuruaia.com.br.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias